Panorama Espírita

Sua Comunidade Espírita na Internet

  • Full Screen
  • Wide Screen
  • Narrow Screen
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
sideBar

Mãe Balbina

E-mail Imprimir PDF
Avaliação do Usuário: / 0
PiorMelhor 

Cornélio Pires

Espancaram-te o rosto, Mãe Balbina.
Velha, furtaste um pão jogado ao solo,
Ama de tanta boca pequenina
Que afagavas, cantando, no teu colo.

Ninguém te viu, anêmica e franzina,
Com o filho da patroa a tiracolo,
E a dor de mãe solteira, inda menina,
No suor da coivara e do monjolo.

Roubaste um pão apenas, Mãe querida,
Tu que foste roubada em toda a vida
Por tantos filhos que te abandonaram!...

Mas Deus guarda-te, além, por luz e enfeite,
O tesouro de sangue, pranto e leite
Das pérolas de amor que te furtaram!

Livro: “Antologia dos Imortais” - Psicografia de Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira.

You are here: